Há um café na Baixa onde gosto de ir lanchar, principalmente por ter uns bolos altamente espectaculares, mas cujo nome não sei. Sei que são bons e que nunca me dei ao trabalho de perguntar o nome aos empregados. Desconfio que terão um nome muito foleiro e que a magia da coisa se perderá.

De qualquer maneira, sempre que venho do tal café, não consigo deixar de recordar este sketch dos Gato Fedorento. Imagine-se porquê.