Eu devo andar parvo.



Porque nos últimos tempos tão cedo me apetece praticar exercício físico que nem um parvo, como, logo a seguir, me apetece voltar a fumar. Talvez a expressão "voltar a fumar" não seja a mais correcta, pois o meu currículo de fumador resume-se para aí a uma semana durante os tempos do secundário. A malta fumava, um gajo tinha que fumar também. Ah... dinâmicas de grupo na adolescência são fodidas. Mas, ao fim de uma semana deixei-me disso. Acho que nem acabei o maço (um Marlboro, escolhido apenas porque... gostava do aspecto da embalagem), entreguei-o a um colega qualquer para acabar com o mesmo. Desde então nunca mais fumei tabaco. Claro que alguma erva teve que ser fumada ao longo da universidade, mas nada de especial. Fumar é coisa que não me assiste, como diz o outro. Pelo menos até agora, pelo que estou a ver. Olho para os maços e sinto uma forte vontade de tirar um cigarro. Não faço ideia porque acontece isto, mas creio que seja uma fase de parvoíce temporária. Bastante comuns na minha pessoa, convenhamos.


E por falar em parvoíce... um dos vídeos mais parvos de sempre dos Iron Maiden. Salva-se a música. Vá lá...