Não há paciência…

Uma tarde inteira, em frente à Câmara, na rua, ao frio, à espera que os senhores autarcas dissessem alguma coisa. Tudo isto para, no final, lerem, em poucos minutos, um comunicado e não dizerem, rigorosamente, mais nada.
Uma tarde inteira perdida. Valeu pelas histórias dos colegas mais velhos, que habituados a estas “andanças” já sabem “o que a casa gasta”.
No fim, fiquei com uma afirmação de um colega na memória.

“Como é que as pessoas não hão-de dizer que temos uma boa vida? Passam aqui e vêm estes tipos a não fazer nada!”