Ajuntamentos populares

A propósito da completa e extrema idiotice dos espanhóis de Huelva (huelvianos? – dava um bom nome para uma estória de ficção científica!) recordo aqui uma passagem de uma crónica de Miguel Esteves Cardoso, que resume bem a estupidez das pessoas quando se juntam para fazer alguma coisa… como estar à porta de tribunais a manifestar a sua indignação com… com o quê mesmo?

«Não há nada pior que um ajuntamento espontâneo de populares. Juntam-se muito neste país. É para ver quem morreu ou para espancar um desgraçado que matou os filhos e as galinhas. É para jogar à vermelinha ou para comprar Lacostes da treta, que em vez de um crocodilo, têm um sardão das Berlengas. À mínima desculpa os populares, que estão maçados e anseiam distracção, juntam-se. Deveria ser proibido, fora de feiras e romarias. Bem vistas as coisas. Também deveriam ser proibidas as feiras e as romarias, porque já está demonstrado que encorajam o contacto entre pessoas. […]»

Miguel Esteves Cardoso in Os Meus Problemas

Comentários

lisbon_devil disse…
Ajuntamentos... O acto de ajuntar, será que é assim que se escreve... Eu ajunto-me, tu ajuntas-te e assim por diante, até estar uma bela duma malta toda ajunta... E o melhor ajuntamento é aquele involuntário de roda de uma mesa onde se, bebem uns finos e umas caipirinhas bem doces e geladas... Isto já é a nostalgia que me acorre agora que estou quase a transformar-me num não estudante...

Mensagens populares